12.12.10


Passaram-se décadas. Ela cresceu e agora tem 47 anos. É lindíssima. É abismal. Confidenciou-me o que pensava: "circunscrever uma vida ao lado de um abismo não é morrer, mas é a morte e eu estou pronta". Percebi mais tarde que foi este o momento em que ela, justamente, pensava que tudo estava prestes a começar. Sim, a começar. Escreveu-me meses depois. Abri a carta e os músculos cumpriram o seu propósito tentando dissimular o nervosismo do meu corpo. Afinal, primeiro, sentou-se à beira do precipício, tirou os sapatos e deixou-os cair. "Não se ouviu o embate no chão", disse. O abismo segurou-os. "Se te atirares, o abismo cumpre a função", escreveu ela.


.

2 comentários:

Alicia disse...

uau...

Annie disse...

Alicia,
Bem-vinda ;)