4.6.10

O dentro e o fora








Nós já não acreditamos num todo como interioridade do pensamento, mesmo aberto, acreditamos numa força de fora que se cava, ingurgita-nos e atrai o dentro. Já não acreditamos numa associação das imagens, mesmo ultrapassando vazios, acreditamos em cortes que tomam um valor absoluto e subordinam qualquer associação. (...) O cérebro corta ou faz fugir todas as associações interiores, chama um fora para além de qualquer mundo exterior.

Gilles Deleuze, A Imagem-tempo

Fotogramas do filme Nói Albínói de Dagur Kári, 2003

.

2 comentários:

sirius disse...

tenho aqui o DVD deste filme emprestado pelo meu caro irmão e ainda não vi. sim, chama-me nomes. *

Annie disse...

Não te chamo nome nenhum. Mas foi ele que mo recomendou também. Acho que daria uma melhor irmã que tu. A minha irmã que o diga!